LANÇAMENTO

EM BREVE!!!

MUNDIALIZAÇÃO DO CAPITAL:

IMPERIALISMO E SUBIMPERIALISMO

ARTUR BISPO DOS SANTOS NETO

Marx (1985a) salientava a distinção existente entre a ordem da aparência e a ordem da essência, chamando atenção para a relevância da ciência para capturar o núcleo interior das coisas. A ciência é fundamental para apreender a essência do sistema do capital que se constitui como “contradição em essência”. Na perspectiva de desvendar a núcleo interno do capital, Karl Marx escreveu sua obra fundamental, O capital, enquanto crítica à economia política burguesa e à necessidade de forjar os elementos para a formação de uma economia política centrada da defesa do trabalho livre, universal e associado. A economia política do proletariado deve estabelecer uma análise científica da ossatura do sistema do capital na perspectiva de estabelecer as bases para uma nova forma de constituição do trabalho, enquanto alavanca duma sociabilidade forjada na emancipação humana.

Toda a produção teórica do Marx tem como essencialidade desvelar a natureza do capital, enquanto uma processualidade dialética historicamente constituída de múltiplas determinações e relações reflexivas que ganham existência mediante a constituição do mercado mundial. A dimensão internacional do capital foi observada pelos distintos teóricos da econômica política (Adam Smith, David Ricardo, William Petty, David Hume etc.), mas nenhum deles chegou ao nível de compreensão da natureza histórico-ontológica do sistema do capital como Marx.

EDITORA PHILLOS | CNPJ: 29.282.901/0001-03 
AV. SANTA MARIA,  PARQUE OESTE, 601. GOIÂNIA- GO. CEP. 74.486-450
www.editoraphillos.com.br | editoraphillos@gmail.com 
©2017 por Editora Phillos. - Todos os direitos reservados.