CAPITAL E PANDEMIA

ARTUR BISPO DOS SANTOS NETO

A história da humanidade foi forjada pelo afastamento gradual das barreiras naturais e pelo crescente poder da subjetividade. O desenvolvimento da capacidade ganhou corolários nunca antes alcançados na história na humanidade com o desenvolvimento do modo de produção capitalista. Esse afastamento gradual das barreiras naturais permitiu as grandes descobertas e a revolução científica moderna. A revolução operada na arte de marear pelos europeus assegurou a colonização da América. O afastamento das barreiras naturais reveladas nas navegações transatlânticas estabeleceu as bases para o processo de acumulação primitiva de capitais, em que as populações nativas foram saqueadas ou submetidas pela violência aos imperativos do trabalho compulsório ou escravo. O afastamento das barreiras naturais representou acumulação de riqueza para os capitalistas europeus e implicou a destruição das distintas formas de sociabilidade existentes na América. As civilizações incas, astecas, maias e as comunidades primitivas foram assim submetidas aos imperativos do capital.

ISBN: 978-65-87324-06-7

Nº de pág.: 240

EDITORA PHILLOS | CNPJ: 29.282.901/0001-03 
AV. SANTA MARIA,  PARQUE OESTE, 601. GOIÂNIA- GO. CEP. 74.486-450
www.editoraphillos.com.br | editoraphillos@gmail.com 
©2017 por Editora Phillos. - Todos os direitos reservados.