PREVIDÊNCIA PÚBLICO-PRIVADA E REPRODUÇÃO DO CAPITAL

ARTUR BISPO DOS SANTOS NETO

A ordem da aparência pode enganar e não revelar a sua essencialidade. Para superar as camadas epiteliais da realidade é preciso ciência, pois subsistem diferenciações entre a aparência e a essência das coisas. A elucidação da peculiaridade da anatomia e da estrutura da previdência público-privada no Brasil carece da análise histórica oferecida pelo materialismo dialético. A capilaridade e a universalidade da temática da previdência pública permitem sua constante irradiação na esfera da doxa, obstaculizando uma compreensão ontológica de sua essencialidade e fundamentação. Para superar o espectro das interpretações que perpassam a esfera da imediaticidade, é necessário recorrer ao instrumental da investigação histórico-ontológica da gênese e constituição da previdência pública, pois subsiste uma ratio muito bem constituída pelo instrumental ideológico da burguesia na perspectiva de forjar a interpretação da previdência como uma concessão assegurada pelo Estado aos trabalhadores.

ISBN: 978-85-52962-24-3

Nº de pág.: 220